terça-feira, novembro 18, 2014

Tatuagem em hebraico em John Constantine (Ainda em investigação)



Capa da revista em quadrinhos: Hellblazer
Mostrando Jhon Constantine e suas tatuagens.
Essa semana, no segundo episódio da primeira temporada de Constantine, finalmente pude ver o que eu estava super curioso para ver: Constantine sem camisa. Não, não tenho atração sexual por pessoas do mesmo sexo (E não tenho nada contra  com quem tenha). Mas como fã da série de quadrinhos Hellblazer (Vertigo/DC Comics) - protagonizado por John Constantine, achava o máximo o corpo do Constantine ser tatuado por vários símbolos mágicos. Para quem ainda não é familiarizado com o Cosntantine, veja essa ilustração ao lado.

Pois é... Muito louco o bagulho. Essas tatuagens mágicas são iradas! E eu realmente acreditei que na série seria assim também. Mas infelizmente, não foi nada disso. Aliás, fiquei muito, muito, muito decepcionado. Só colocaram 3 tatuagens, muito da mixuruca!!!  Mas fora decepções a parte de um fã de quadrinhos, uma coisa me chamou atenção. No flanco esquerdo de Constantine, há um tatoo em caracteres em hebraico escrito: לאכלימותלי.

O significado ainda está em aberto. Depois da ajuda dos chaverim  Húdson Canuto e Salim Haber, chegamos a fase: לא כלי מות לי que significa: Nenhuma de ferramenta de morte para mim".

Depois perguntei pro Rabino Moré Ventura e ele me deu outras possíveis traduções: 

Lechol Yamut Li – Comer, morrerá para mim.

Lo Col Yamut Li – Não tudo morrerá para mim.

Lo Kelimot li – Não vergonha para todos


Lo Kol Yemot Li – Não são todos os dias para mim.

Cena do episódio: "The Darkness Beneath" - da Série de TV: Constantine - Onde podemos ver a tatuagem em hebraico.

A questão que fica é que de acordo o que diz na Torah, não se deve tatuar, como está escrito explicitamente em Vaycrá/Levíticos 19:28:

ושרט לנפש לא תתנו בבשרכם וכתבת קעקע לא תתנו בכם אני יהוה׃
"Não fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca (tatuagem). Eu sou o Senhor."   
De acordo com o Rambam, no Sefer Hamitzvot, podemos entender melhor essa mitzvah:
P. 41 - NÃO FAZER MARCAS EM NOSSOS CORPOS [TATUAGEM]A proibição (mitsvát lô taassê) número quarenta e um (do Sefer Hamitsvót) é a Proibição Divina de fazer qualquer marca – azul, vermelha ou de qualquer outra cor – em nossos corpos, assim como fazem os idólatras, como é comum entre os Kobtim [guiptim; talvez os antigos "egípcios"], até hoje. [A FONTE NA TORÁ] Esta proibição Divina está expressa em Suas palavras (louvado seja!): "E escrita de tatuagem (marcas) não poreis em vós" (Vayikrá/Levítico, 19:28).O castigo pela desobediência desta proibição é a pena de malkut (chicotadas) [só quando há advertência prévia e duas testemunhas, etc., após julgamento em um Beit Din — na época do Beit Hamicdash].As normas deste mandamento estão explicadas no final do Tratado de Macot.

Como podemos ver, a Torah possui o mandamento de não fazer tatagem em nossos corpos. E o Rambam deixou uma pista para entendermos por que não se deve fazer tatuagem, pois era costume dos idólatras. O rambam também dá outra pista, os detalhes dessa mitzvah está no Talmud, tratado de Makkot 21a .

Segundo o tratado de Maccot, a Mishnah é clara em dizer que: 


MISHNAH: Quem escreve uma impressão incisa - [na sua carne , É açoitado ] . Se ele escreve [Em sua carne] Sem incisão , ou incise [Sua carne] Sem impressão, Ele não é responsável (livre de culpa): [Ele é] Não responsável até que ele escreva e imprima com incisão com tinta, maquiagem ou qualquer coisa que marque . Rabi Simeon Ben Judah diz Em nome de Rabi Simeon Bar. Yocḥai que ele é não responsável até que ele tenha escrito lá o nome, como é dito :  "Nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca (tatuagem). Eu sou o Senhor". 
Talmud da Babilônia - Tratado de Makkot 21a

Já no tratado de Sanheedrin 103b, é comentado sobre a bizarra tatuagem que o Rei Jehoiakim Ben Judah (Joaquim de Judá ou Jeoaquim ou Jeoiaquim - 634 a.e.c. — ?) foi o 18º Rei de Judá) Na discussão do Talmud, um rabino diz o que estava escrito era o nome de uma deidade pagã. Por sua vez, outro rabino disse que era o nome do Eterno que estava tatuado.

Seja o que estava tatuado, o reinado de Jehoiakim Ben Judá foi marcado pela assimilação e idolatria:
"Da mesma maneira, todos os chefes e líderes dos sacerdotes e o povo em geral se tornaram cada vez mais infiéis, imitando todas as práticas detestáveis das nações pagãs e contaminando a Casa do Senhor, consagrada por ele em Jerusalém."
(2 Crônicas 36:14)
Sobrevivente do Holocausto Nazista na Segunda Guerra
Mundial mostra números marcados por incisão e tinta.
Essas marcas foram feitas sem consentimento do indivíduo.
Para não haver dúvidas, a questão foi decidida através da decisão rabínica de proibir por completo o uso de tatuagens. (Comentário tosafot do tratado de Gittin 20b). Importante ressaltar que essa proibição só se aplica a marcas feitas por livre e espontânea vontade. Logo, essa lei não se aplica as marcas feitas pelos nazistas nos campos de concentração, que foram feitas cruelmente contra a vontade das vítimas. Já, o caso recente na Venezuela, onde pessoas são marcadas senhas com tinta lavável nos braços para poderem entrar na fila dos supermercados para comprar comida, não é considerada tatuagem, pois como diz a Mishnah, somente marcas com incisão e tinta.  

Falta saber, por que o personagem de Constantine usa uma tatuagem escrita em hebraico, haja vista que é proibido usar tatuagem segundo as leis judaicas. Só assistindo os próximos episódios para sabermos. E assim que eu tiver alguma resposta, irei atualizar esse meu post. 
Na Venezuela recente, pessoas são marcadas como
animais para poder comprar comida. 



Constantine hebrew tatoo ink

Nenhum comentário:

Postar um comentário